Suaveolens

Este blog foi criado por um cearense apaixonado por plantas medicinais e por sua terra natal. O título Suaveolens é uma homenagem a Hyptis suaveolens uma planta medicinal e cheirosa chamada Bamburral no Ceará, e Hortelã do Mato em Brasília. Consultora Técnica: VANESSA DA SILVA MATTOS

Minha foto
Nome:
Local: Brasília, Distrito Federal, Brazil

Cearense, nascido em Fortaleza, no Ceará. Criado em Ipueiras, no mesmo estado até os oito anos. Foi universitário de agronomia em Fortaleza e em Recife. Formou-se em Pernambuco, na Universidade Rural. Obteve o título de Mestre em Microbiologia dos Solos pelo Instituto de Micologia da Universidade Federal de Pernambuco. Também obteve o Mestrado e o Doutorado em Fitopatologia pela Universidade de Brasília. Atualmente é pesquisador colaborador da Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária da Universidade de Brasília.

30.12.14

ANO QUE VEM VIDA QUE SEGUE



ANO QUE VEM VIDA QUE SEGUE

Versos e foto de Dalinha Catunda
*
Quando um ano vai embora
Um ano novo rebenta
Ser feliz a gente tenta
E promete a toda hora,
Tanto sorri como chora
Nessa dita ocasião
Faz promessa e oração,
Mas a vida continua
Tanto a minha como a sua
Será só continuação.
*

Feliz Ano Novo, amigos.



Maria de Lourdes Aragão Catunda – Poetisa, Escritora e Cordelista. Nascida e criada em Ipueiras-CE, conhecida popularmente como Dalinha Catunda, vive atualmente no Rio de Janeiro. Publica nos jornais "Diário do Nordeste" e "O Povo", nas revistas "Cidade Universidade" e "Municípios" e nos blogs: Primeira Coluna, Ipueiras e Ethos-Paidéia. É membro da Academia Brasileira de Literatura de Cordel. Escreve no Jornal Gazeta de Notícias do Cariri, No Blog Jornal da Besta Fubana e No Blog do Lando. Faço parte da ACC (Academia dos Cordelistas do Crato) e da AILCA, (Academia Ipuense de Letras Ciência e Artes). É co-gestora convidada do blog Suaveolens, além de ter blog próprio: (cantinhodadalinha.blogspot).

29.12.14

UM FELIZ 2015



Um Feliz 2015
Por
Bérgson Frota

Ano Novo, vida nova.
Que os sonhos possam ter vez na vida de cada ser e nelas se concretizem.
Que todas as coisas tristes que passaram sejam esquecidas e transformadas em experiências positivas, que o novo amanhã renove cada projeto e que cada oportunidade dada sempre pela vida seja alcançada e vivida.
Sim, neste período tão especial normalmente paramos para pensar em nossas vidas, os acertos e desacertos do ano anterior e as expectativas, esperanças e sonhos a concretizar neste novo tempo que iniciamos.
Somos levados a planejar mudanças, imaginamos viver situações diferentes das que já tivemos, mas, mais do que nunca, sonhamos, medimos e arquitetamos nossos projetos a serem concretizados.
No entanto a vida, o ano novo, nos pedem ousadia, determinação e atitude para que as mudanças ocorram, para concretizarmos o desejado.
Recomecemos então neste espírito de esperança.
Pensar positivo no que desejamos já é um bom começo, esqueçamos o que não foi possível e renovemos os nossos votos com perseverança, alegria e renovada esperança.
Dedico este pequeno mas rico texto, a todos sem exceção, com um intento mais global é “dedicado a um ano novo mais feliz” para toda a humanidade.
Feliz Ano Novo, Feliz 2015, que seja para todos, repleto de saúde, paz e realizações.
                                                                                         
        
Foto: thebestmoments 13.blogspot.com



24.12.14

NATAL AGRESTE


NATAL AGRESTE 
Por
Dalinha Catunda

*
O natal que vejo agora
É um natal diferente
É só compra e presente
Jesus, o povo ignora.
Saudades tenho d’outrora
Do natal que antes tinha
O presépio era lapinha,
Montado lá na matriz,
Na igreja o povo feliz
Rezava sua ladainha.
*
Se era simples o presente
Nunca vi reclamação,
Era só animação
Da criançada contente
Animando ambiente
Que hoje não vejo igual.
A árvore de natal
De garrancho era feita
E eu ficava satisfeita
De ajudar no ritual.
*
Era mesmo devoção
Ir para missa do galo,
A ceia era um regalo,
Nos natais do meu sertão
Tinha comemoração
Mas tinha o Deus menino
No templo nordestino
Nos meus natais do agreste
Onde a estrela celeste
Guiava nosso destino.
*

Imagem: aascj.org.br



Maria de Lourdes Aragão Catunda – Poetisa, Escritora e Cordelista. Nascida e criada em Ipueiras-CE, conhecida popularmente como Dalinha Catunda, vive atualmente no Rio de Janeiro. Publica nos jornais "Diário do Nordeste" e "O Povo", nas revistas "Cidade Universidade" e "Municípios" e nos blogs: Primeira Coluna, Ipueiras e Ethos-Paidéia. É membro da Academia Brasileira de Literatura de Cordel. É co-gestora convidada do blog Suaveolens, além de ter blog próprio: (cantinhodadalinha.blogspot).

21.12.14

Lembranças de um Natal


Lembranças de um Natal      

Por 
Bérgson Frota

De todos os muitos natais já por mim passados, lembro um que muito marcou-me, a ponto de não esquecê-lo até hoje.
Foi um natal especial, junto aos pais e avôs maternos. Nele a família saudava a data com alegria e respeito, risos e presentes, comida a fartar-se, e acima de tudo, o mais importante, a fé, o carinho e confraternização.
As cativantes histórias de meu pai, o cândido sorriso de minha avó, a presença marcante de meu avô e minha mãe.
No centro uma árvore piscava encimada por uma grande estrela vermelha, em torno presentes a serem abertos. Guardando a surpresa para o mais tardar.
Lembro do quanto foi importante àquela noite, do presente que ganhei, e principalmente da presença dos entes queridos, alguns já partidos, porém não esquecidos.
Celebremos pois o natal com o espírito aberto à mensagem divina, esqueçamos as tristezas, tornemo-nos receptivos as coisas boas e positivas, pois elas com certeza se concretizaram.
Um rico e feliz natal a todos, neste ano e nos próximos que hão de vir.
       
                                                   *  *  *
Crédito da foto :  festasanimada.blogspot.com

Bérgson Frota, escritor, contista e cronista, é formado em Direito (UNIFOR), Filosofia-Licenciatura (UECE) e Especialista em Metodologia do Ensino Médio e Fundamental (UVA), tem colaborado com os jornais O Povo e Diário do Nordeste, desenvolvendo um trabalho por ele descrito de resgate da memória cultural e produzido artigos de relevância atual.

18.12.14

EXISTE O COXINHA RADICAL?





Por 

Jean Kleber Mattos

Segundo Roger Costa, no artigo intitulado O COXINHA -- UM OLHAR SOCIOLÓGICO (link) o termo é utilizado, pelo menos desde a década de 80, para se referir aos policiais civis ou militares que, mal remunerados, recebiam também vales-alimentação irrisórios, popularmente conhecidos como “vales-coxinha” (os professores também recebem, mas não herdaram o apelido por já carregar consigo estereótipos e nomenclaturas mais ofensivas e pejorativas). 

Nas redes sociais atualmente o coxinha é identificado por ser alguém “de direita”, homofóbico, machista, elitista, genocida, anticomunista, às vezes com traços até meio nazistas. No entanto, não acredito em coxinhas radicais. Esse monstro não existe, na minha leitura. Raros seriam capazes de assinar todas as expressões abaixo.

Ser coxinha é geralmente um comportamento meramente reativo. O argumento do coxinha assumido dificilmente resiste a uma proposta de bom senso. Conheço pessoas ótimas às quais prezo como amigos e que têm, via de regra uma postura de coxinha. Nem por isso tenho menos amizade a eles, assim como tenho amigos comunistas, aos quais também prezo. 
Eu mesmo de vez em quando me surpreendo dizendo, quando diante de um crime hediondo,: “ se houvesse pena de morte isso não aconteceria”. Reação. Pura revolta. Se você me der quinze minutos de reflexão eu já não estarei tão radical. Como se explica? Questão de lastro.
Quase todos nós fomos criados em país cristão e recebemos durante toda a vida mensagem de amor ao próximo, paz, caridade e compaixão, que também são valores fortemente defendidos por religiões orientais. Obviamente não podemos esconder as mazelas reveladas no seio das igrejas, mas o que importa é a interiorização da mensagem e sobretudo a nossa fé na vitória do amor. Ainda acho que sou um tanto coxinha. Querer o progresso e a inclusão social e econômica são característica do “bom coxinha”, não acham?
Ninguém é totalmente coxinha. Examine as 35 expressões abaixo e veja quão coxinha você é:

1. Greve é coisa de vagabundo
2.Trabalhamos para sustentar nordestinos. Separatismo já!
3. Bolsa família cria vagabundos
4. Orgulho de ser homofóbico
5. Cura gay é porrada
6. Intervenção militar já !
7. Salve 31.03.1964 !
8. Mulher de roupa curta quer ser estuprada
9. Não vai ter copa
10. I Love USA
11. Linchamento sim. Mate um bandido.
12. Joaquim Barbosa para presidente
13. O Brasil é uma merda. Vivam os USA
14. Na ditadura não tinha baderna
15. Bandido bom é bandido morto
16. O trânsito está uma bagunça porque pobre tem carro
17. O plano real de FHC salvou o Brasil
18. Índio quer terra pra que ?
19. Fora petralhas
20. Abaixo a ditadura gay
21. O povo da Venezuela quer democracia. Fora Maduro!
22. O povo da Ucrânia quer mudanças. Viva a U.E. !
23. Cuba é uma ditadura sanguinária
24. O governo do PT é o mais corrupto de todos
25. Israel apenas se defende do terrorismo do Hamas
26. Black-block é terrorismo
27. Fora comunistas !
28. O PT acabou com a Educação
29. Fora bolsa esmola
30. Impeachment da Dilma !
31. Fora PT
32. Imagine na Copa
33. Cadeira elétrica para os mensaleiros
34. Ser rico perdeu a graça. Numa ida a Paris ou Nova York periga-se dar de cara com o porteiro do prédio.
35. Pena de morte, já!


Figura:  site forum jogos uol com br

Sugestão de leitura