Suaveolens

Este blog foi criado por um cearense apaixonado por plantas medicinais e por sua terra natal. O título Suaveolens é uma homenagem a Hyptis suaveolens uma planta medicinal e cheirosa chamada Bamburral no Ceará, e Hortelã do Mato em Brasília. Consultora Técnica: VANESSA DA SILVA MATTOS

Minha foto
Nome:
Local: Brasília, Distrito Federal, Brazil

Cearense, nascido em Fortaleza, no Ceará. Criado em Ipueiras, no mesmo estado até os oito anos. Foi universitário de agronomia em Fortaleza e em Recife. Formou-se em Pernambuco, na Universidade Rural. Obteve o título de Mestre em Microbiologia dos Solos pelo Instituto de Micologia da Universidade Federal de Pernambuco. Também obteve o Mestrado e o Doutorado em Fitopatologia pela Universidade de Brasília. Atualmente é pesquisador colaborador da Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária da Universidade de Brasília.

12.5.07

O ANIVERSÁRIO DE TIA ISA


Por
Jean Kleber

Dia 12 de maio de 2007. Abro minha pasta de e-mails e encontro este aviso de minha amiga Tereza Mourão:

Aos ipueirenses e companhia !
"Comunico que no dia 13/5 tem uma pessoa muito importante de nossa Ipueiras, que estará a aniversariar, só completará 96 aninhos, e estou falando de D. Isa Catunda. E como esta bela data não poderia passar em branco, nossa musa e sobrinha Dalinha Catunda em seu blog http://www.cantinhodadalinha.blogspot.com/ fez uns versos lindos homenageando esta fada madrinha. Vão lá, confiram e deixem seu depoimento. Para D. Isa um beijo enorme seguido de uma braçada de flores, e comunico que muito em breve estarei em ipueiras e darei este abraço ao vivo e a cores.”

Lembrei-me então. No dia 14 de janeiro de 2007 eu voltara de minha viagem a Ipueiras e me desencontrei do Tadeu Fontenele. Havíamos combinado um encontro para que eu revisse, juntamente com meu pai, a professora Isa Catunda, então com 95 anos. Meu pai fora contemporâneo de Isa na Ipueiras dos anos 40. Ela que me encantara na infância por sua aura de santidade. Chegado a Brasília, recebo e-mail do Tadeu, cobrando o desencontro. Naquele dia 14, seu celular estava “na caixa” enquanto eu tentava localizá-lo, pois estava participando de um evento religioso.

Tadeu prometeu compensar o desencontro, e, para surpresa minha, quando liguei para meu pai no domingo seguinte, minha prima Gonçala Salete Matos atendeu e logo informou que Tadeu estava lá com a mãe dele D. Ineizita (90 anos) juntamente com D. Isa (95 anos) visitando meu pai (94 anos). Incrível. Verdadeira façanha. O encontro dos séculos!

O que dizer desses três ícones em educação da Ipueiras dos anos 40 e 50?

D. Ineizita: seu nome de solteira era Inês Ribeiro Bessa. Nasceu a 07 de janeiro de 1917. No ano de 1935, com 18 anos, deixou Barro Vermelho, cidade próxima a Fortaleza e transferiu-se para Ipueiras com a heróica tarefa de ali implantar o ensino público, acompanhada de mais quatro colegas. Foi diretora do Grupo Escolar Padre Angelim. Naquela distante cidade conheceu Zeca Bento, filho caçula do Coronel José Bento de Oliveira Fontenele e de Inocência Catunda Fontenele, com quem se casou. Hoje ainda vivos estão 11 filhos da união, entre eles, Tadeu Fontenele. São 26 netos e 19 bisnetos.

Seu Mattos: O nome é Sebastião Mattos Sobrinho. Tido e havido como um dos históricos de Ipueiras, recentemente confirmou-me que seu pai mudou-se para Ipueiras quando ele era menino. Nascera num povoado próximo, no alto da serra, chamado Campo Grande. Em Ipueiras, quando adulto, fundou, com a esposa e a sogra, o Educandário Nossa Senhora da Conceição, que habilitava meninos e meninas ipueirenses a ascender ao curso ginasial. No Educandário, estimulou a prática dos esportes, construindo uma quadra de vôlei e promovendo torneios também de futebol. Integrava sempre com entusiasmo seus alunos à parada cívica do Dia da Independência, mediante impecável desfile com farda “engomada”, “fanabô” e fanfarra.

D. Isa Catunda. Eis o que disse sua sobrinha Dalinha Catunda sobre ela: “nascida e criada na cidade de Ipueiras, em 13 de maio de 1911 carrega hoje uma imensa bagagem, de quem nas páginas dos livros viajou o mundo inteiro. Essa viagem cultural era pouco para ela, queria muito mais, e feito uma fada com seus pozinhos mágicos ela conseguia repassar esse mundo encantado, das lendas, dos contos de fadas, à meninada, que hipnotizada com as mágicas palavras, faziam rodas e mais rodas para escutarem as fantásticas histórias da Tia Isa.”

Dela tenho a recordação da catequista, da professora de escola pública, da mulher religiosa e carinhosa com todos, especialmente com as crianças. De sua idade provecta tenho apenas os retratos da Internet, dos “blogs” de Ipueiras. Estivesse eu naquele domingo especial em Fortaleza, propiciado pelo Tadeu Fontenele, certamente me desfaria em lágrimas de emoção, presenciando o encontro de três “monstros” da educação da cidade onde aprendi as primeiras letras e o código moral do cristianismo.

Vida mais longa ainda, tia Isa!

__________________________________________
_______________________________

Jean Kleber de Abreu Mattos, cearense, nascido em Fortaleza, viveu em Ipueiras dos dois aos oito anos de idade. Foi universitário de agronomia em Fortaleza e em Recife. Formou-se em Pernambuco. Atualmente é professor da Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária da Universidade de Brasília.

1 Comentários:

Anonymous dalinha disse...

Jean Kleber,
fico grata pela homenagem a minha Tia Isa Catunda.
Tomara que seus alunos e amigos achem esse cantinho e comentem a Homenagem pois esperar os comentários e imprimirei para entragar a ela, que certamente ficará muito feliz.

13.5.07  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial